Dia dos pais

Minha pequeníssima obscessão por pinhões veio logicamente se infiltrar neste primeiro presente do dia dos pais depois que comecei minha jornada desenhística. Como meu pai nunca deu bola pra dias especiais, nem presentes nas datas que eles supostamente devem ser dados, eu nunca me incomodei muito com isto, mas como estou mergulhada profundamente nos meus desenhos ficou muito claro que eu queria dar algo criado por mim pra ele com a esperança de que desta vez a indiferença não seja a palavra certa para descrever a sua reação.

Como estou trabalhando numa série de texturas aplicadas ao meu pinhão, usei três dentre as que ele escolheu para aplicar numa xícara de porcelana.

pinhoes

Estudo da posição dos pinhões.

Usando carbono para transferir os desenhos.

Pintura. Como vocês podem perceber, a canetinha para porcelana possui uma ponta mais grossa e isto deixou os desenhos com aspecto diferente do original no qual utilizei canetas de ponta mais fina mas mesmo assim eu gostei do resultado.

xicara-pinhao4

Café da manhã com os meus pinhões! Desta vez eu consegui uma reação melhor dele!

Viva meu pai e viva os pinhões!

xicara-pinhao7

Aqui o cartãozinho que acompanhou o presente. Vou contar um segredinho pra vocês. Desde pequena sempre chamei meu pai pelo nome, Ugo, ou por apelidos que eu inventava como Uguetto, Gogo, etc então, para o dia dos pais resolvi me transformar numa filha verdadeira e chamá-lo pelo substantivo comum usado para designar todo homem que tem uma progenitura.