Capi Parade

Vocês conhecem a CowParade, uma exposição de arte pública internacional que aconteceu em várias cidades do mundo? As vaquinhas são em fibra de vidro, decoradas por artistas locais e depois colocadas em lugares públicos como estações de metro, avenidas importantes, e parques. Depois da exposição, as vacas são leiloadas em prol de instituições de caridade.

Luiz Pagano criou a Capi Parade e assim explica a idéia no seu site:

"Concebido em 2008, o Capivara Parade é um projeto baseado na Cow parade de Pascal Knapp, e visa nos mostrar tal como num protesto, que os rios de nossas cidades não são latrinas, mas sim espaços de convivência e beleza. Elas se estabeleceram nas margens dos Rio Pinheiros e Tietê de SP, nos parques Tingüi e Barigui de Curitiba, da Lagoa R. de Freitas no Rio— elas estão presentes em todas cidades do Brasil."

Eu como fã absoluta da CowParade e de capivaras, não pude deixar de ir vê-las quando elas passaram pela praça Rui Barbosa. Amei!

Coworking

Uma outra coisa que aprendi nos MOOCs Design Thinking e Solução Criativa de Problemas é que mudar de hábitos e lugar de trabalho estimula sua imaginação. Como trabalho em casa senti a necessidade de passar algumas horas em algum lugar diferente. Que tal um coworking? Olha lá, acabou de abrir um aqui pertinho! Vamos lá conhecer e testar durante um mês para ver se este tipo de espaço te convém? O Biosfera Coworking funciona numa casinha e isto já foi um ponto mais que positivo e estimulador pra mim. Outra coisa que me fez assinar o contrato foi a possibilidade de trabalhar perto de uma janela de onde posso ver adivinhem o quê? Araucárias é claro. Ótima combinação de elementos para estimular a imaginação, trabalhar numa casa em plena região central, conhecer pessoas de horizontes diferentes e olhar pela janela e ver a minha querida Araucária.

Olha uma das Araucárias ali no meio desta verdura linda! Vista ótima para trabalhar! Adoro!

araucaria

Logicamente com esta natureza toda entorno da casinha (modo carinhoso como chamo o coworking) os passarinhos não poderiam deixar de aparecer. Este fez pose para eu tirar a foto. rs

coworking-passarinho

Vamos aproveitar de tudo isto e criar coisas tão lindas quanto estas que vejo pela janela!

Coleção de estampas Curitiba Winter

Esta foi a minha primeira coleção de estampas que criei seguindo os cursos da Bonnie Christine no Skillshare. Cada aula no Skillshare tem um projeto para ser feito depois de assistir os vídeos e você pode ou não postar no site deles. Para estimular os estudantes a postar eles lançam desafios nos quais você assiste as aulas e vai postando o seu trabalho seguindo os prazos que eles estipulam. Eu gosto de participar destes desafios porque além de me obrigarem a ter uma certa disciplina, a interação com os colegas e com o professor é muito mais direta e dinâmica. Este site é excelente e tem uma diversidade enorme de aulas, eu recomendo muito se você, pelo menos, entende inglês.

Se quiser ver os meus projetos no Skillshare clique nos links abaixo :

Moodboard com fotos tiradas durante meus passeios invernais em Curitiba.

curitiba-inspiration-board4

Moodboard J. Borges que me inspirou na hora de desenhar e na  estética da coleção.

Inspiration-board-JBorges

Desenhos

ccerantola-sketches

Spot graphic criado para apresentar a coleção e que pode ser usado numa peça de roupa, num quadrinho, etc.

curitiba_winter_spot_graphic

Para apresentar uma coleção é interessante escrever uma breve descrição sobre o que a inspirou.

Colecao-Curitiba-verde

Segunda opção de cores. Para esta escolha segui os conselhos da Bonnie que recomenda pegar três ou quatro cores usadas na primeira opção e acrescentar novas, assim as pessoas podem misturar com facilidade as duas coleções para fazer suas criações.

Colecao-Curitiba-verde-rosa

Para fazer o portfolio de apresentação da coleção eu me inspirei na literatura de Cordel.

Inspiration-board-cordel1

Algumas páginas do portfolio digital.

issuu_1

issuu_2

 

Aqui no Issuu vocês podem ver o portfolio digital completo da Coleção Curitiba Winter.

Foi um desafio enorme fazer esta primeira coleção, mas também foi muito satisfatório. Espero continuar espalhando pinhões e araucárias por aí desta maneira gostosa.

 

 

 

Serigrafia estampa MON Araucária

Uma interpretaçãozinha do MON (Museu Oscar Niemeyer Curitiba) e da Araucária para a última serigrafia do semestre. Fiz a serigrafia em papel e em tecido. MON-Araucaria

Meus rabiscos.

desenhos-MON-araucaria

Modulo usado na serigrafia.

modulo-MON-araucaria-serigrafia

Serigrafando em tecido e papel.

Com a mesma tela fiz impressões em duas cores. Na primeira foto, invertendo a tela e na outra com a tela na mesma posição mas com um pequeno deslocamento. Gostei dos efeitos.

Primeiros passos na serigrafia

Estou gostando muito da maneira como nosso orientador Nelsom Edi Hohmann do Solar do Barão está nos ensinando a técnica da serigrafia. Começamos todo o processo fabricando várias das coisas que precisávamos. Preparamos a tela esticando e pregando o tecido, fizemos a tinta com farinha de arroz e corante,  e fabricamos as garras para a fixação das telas com pedaços de madeira e dobradiças. Esticando a tela

Preparando a tinta

Preparando a mesa

Serigrafando texturas

Resultado depois de serigrafar com mais texturas e nas cores, amarelo, azul e magenta.

serigrafia-impressao-cores-solar-do-barao

Serigrafia no Solar do Barão

Este ano uma das aventuras será no mundo da serigrafia. Deem uma espiada no espaço inspirador onde espero serigrafar muitas ideias. Olhando para a primeira foto o que me vem na cabeça é a imagem de uma estante de livros. Como sou apaixonada por livros por darem asas à imaginação, tenho certeza que estas telas terão a mesma capacidade e vão me levar por terras ainda desconhecidas que certamente serão de grande inspiração.

Escambo de portfólio no Solar do Barão

Nosso orientador de xilo Nelson Edi Hohmann nos propôs uma participação no projeto de escambo de portfólio de artistas do Solar do Barão. Achei super interessante o conceito que não envolvia dinheiro, somente a troca de gravuras entre nós. Participaram 33 artistas dentre eles o próprio Nelson e a Denise Roman. Um dos lugares onde o desenho me levou, escambo de portfólio e exposição no Solar do Barão.

Minha inspiração para este projeto foi na natureza encontrada nas ruas de Curitiba. Garimpei algumas coisas e tirei fotos de outras nas minhas andanças por aí.

Inspiração

 

Preparação

escambo-xilo

 

Testes

 

Processo de impressão

 

Assinatura...com o pinhão!

 

Exposição

 

 

Primeiras criações com os carimbos

Bom, agora que tenho os carimbos, já estou familiarizada com tintas e técnicas de gravura das aulas de xilo e estou aprendendo a costurar, aí vão algumas das minhas criações inspiradas nas combinações que fiz aqui. Cestas de tecido

Agora estava começando a faltar uma etiquetinha para colocar em tudo que vou costurar e naturalmente lá está a Araucária e o pinhão, assim quando vocês verem este duo por aí saberão de onde vieram.

No Japão consegui decifrar muita coisa pelos desenhos que tinham nas embalagens, nas placas, etc, além de ajudarem eles eram muito fofos. Uma das coisa que coloquei na mood board que fiz do Japão era uma espécie de toalhinha que eu comprei porque achei genial a ideia e a maneira como eles  descreveram o uso dela com desenhos, então, nada mais natural que ela tenha me inspirado a fazer a etiqueta que eu achava que estava faltando para as minhas cestinhas.

Quando dei de presente uma cesta para a casa da minha prima, o namorado dela seguiu a sugestão número 5 da minha etiqueta "Você decide! Agora ela é sua." e usou ela como touca.

Ilustração, feita à partir de uma foto tirada por mim, em técnica mista, nanquim, canetinha e colagem sobre papel vegetal.

cesto-touca

 

SacolECO   I <3 Curitiba.

 

SacolECO flor de pinhão.

sacoleco-flor-pinhão

Gostei bastante de carimbar na lona que fiz as cestas e no algodão cru das sacolas, o resultado me agradou.

Dica, quando for carimbar coloque a tinta de tecido numa esponja, eu usei esponjas velhas de louça, fica mais fácil de controlar e espalhar a tinta no carimbo.

Meus primeiros carimbos

Este erro foi o motivo pelo qual decidi mandar fazer os carimbos abaixo. Se vocês estavam se perguntando como transformar aquela arte em carimbo, é só consultar o Ruy da Primo Mestre Carimbos que ele faz a mágica, depois, é só sair carimbando por aí. Algumas dicas que podem ser úteis para vocês que estão pensando em mandar fazer carimbos. Para carimbos artísticos é melhor sem o cabo, fica mais fácil para aplicar e para guardar. Se você tiver uma arte composta, como no caso da minha, o melhor é mandar fazer um carimbo por desenho para não ficar restrito a sempre carimbar a mesma coisa.

Como o primeira ideia era a de fazer a camiseta, comecei a testar vários tipos de tinta naquela famosa camiseta que foi impressa errada.

camiseta-carimbo

Xilogravura no Solar do Barão

De volta a Curitiba depois da viagem ao planeta Japão eu fui diretamente ao Solar do Barão para me inscrever no ateliê de xilogravura. Sempre quis fazer xilo, desde que descobri o cordel e obras maravilhosas de mestres como o inigualável J. Borges. jborges

O primeiro tema no qual trabalhei foi Japão-Brasil. O Japão tinha me marcado e eu não conseguiria trabalhar com algo que não fosse ligado à minha viagem. Como viagens implicam também a saudade e quando eu morei por aí tive muita saudade da araucária, o tema logo ficou claro, Japão-Monte Fuji e Brasil (o meu neste caso)-Araucária.

Espiem a galeria abaixo e vejam o que xilogravei com o Monte Fuji e as Araucárias. Não gostei de tudo o que fiz mas o importante é não ter medo de fazer, quanto mais se faz mais se aprende e mais ideias surgem.

Acho que eu poderia ficar em qualquer lugar do mundo com o coração em paz se eu pudesse olhar pela janela e ver minhas araucárias...

 

Primeiro tecido de pinhão

Agora que o meu pinhão já declarou seu amor por Curitiba ele vai virar estampa de tecido. Este foi o rapport pinhas feito no Photoshop. Para copiar o pinhão ao redor de um círculo eu segui este tutorial Illustrator no Metapix.

modulo-pinhao

 

Mandei fazer o tecido, foto abaixo, no site Panólatras mas quando recebi percebi que quase não dava para ver a linha branca no meio de cada pinhão, ela era muito fina. Fazendo e aprendendo, este é meu lema, da próxima vez eu aumento ela.

tecido-pinhao

 

Decidi fazer lenços com ele, um para mim é lógico e os outros para dar de presente, um deles até foi para o Japão. A primeira de muitas viagens que fará meu pinhão!

Abaixo ilustrações feitas à partir de fotos minhas em técnica mista, nanquim, aquarela e colagem sobre Canson Montval Aquarelle.

lenco-pinhao-1

lenco-pinhao-2

 

Meu pinhão e Curitiba

Depois da criação do meu pinhão, muitas ideias de criação de estampas começaram a surgir na minha cabeça, a primeira foi usá-lo para declarar meu <3 por Curitiba. A fonte usada foi a akashi criada pelo designer Ed Merrit que pode ser baixada gratuitamente. Como eu admiro pessoas que dividem as coisas com generosidade, fiz uma doação para o site dele, o Ten by Twenty.  

Ilovectb_pequenoI

 

Agora que o amor estava declarado, queria estampá-lo por aí. Claro que a primeira obviedade vendo a imagem acima é que ela será estampada em uma camiseta, não é? Desculpem se os frustro mas desta vez vou ser óbvia. Mandei fazer a camiseta num site mas o resultado, por problemas técnicos deles, foi decepcionante. Não vou mencionar o site aqui porque erros todos nós cometemos, posso dizer que eles foram honestos em reconhecê-lo e me devolveram o dinheiro.

Este era o tamanho da impressão que eu esperava :

camiseta-i-love-curitiba

E este foi o tamanho que eles imprimiram :

camiseta-i-love-curitiba-2

Depois disso resolvi que ia tentar eu mesma fazer a camiseta e comecei a testar algumas técnicas que acabaram dando origem a outras coisinhas que vocês verão em alguns posts aqui.

 

Meu pinhão

O pinhão em Curitiba não está só nas festas juninas ele também está nos painéis de Poty e nas calçadas de petit pavê. Ele faz parte da cidade e da vida dos curitibanos assim como fez e faz parte da minha desde que nasci, mesmo durante os longos anos que passei fora do Brasil ele sempre me acompanhou, um vaso cheio deles estava sempre por perto para acalmar a saudade da terrinha quando ela apertava. Assim sendo foi naturalmente que tive o desejo de desenhar o meu pinhão e com ele desenhar superfícies por aí afora. Foto - Brunno Covello/Gazeta do Povo

Pinhao_Brunno_Covello

Parti das proporções da imagem abaixo que encontrei aqui para criar o meu desenho.

pinhao-geometrico-lange

Segui o tutorial Illustrator do Metapix, Desenhando formas simétricas, e como comigo sempre acontecem coisas bizarras, na hora de fazer a simetria do pinhão tudo saiu totalmente diferente do que deveria, porém, eu adorei o resultado. Criei algo que nem sequer tinha imaginado. Nunca mais consegui reproduzir o mesmo erro, mistérios do Illustrator... ou seriam Mistérios de Curitiba?

pinhao_simetrico

Nos próximos posts vocês vão ver onde ele já foi parar.

 

Quadrinhos - Cidade Sorriso dos Mortos Vivos

A Cidade Sorriso dos Mortos Vivos é uma coletânea de histórias de vários artistas curitibanos sobre a invasão de Curitiba pelos mortos vivos. Como vocês já leram aqui, eu adoro projetos que valorizam a cidade e as pessoas que nela habitam, neste caso, que nela tentam sobreviver à invasão. Além de gostar deste tipo de iniciativa também sou fã do gênero zumbi, então, não poderia ter deixado este excelente álbum fora da minha biblioteca. capa-cidade-sorriso-dos-mortos-vivos

Vindo de pessoas extremamente criativas,como o Antonio Elder e o Walkir Fernandes eu nem sei por quê me surpreendi ao receber o álbum e ver um zumbi me agradecendo no envelope e numa folha A4 que encontrei dobrada na primeira página. Surpresas assim são sempre bem vindas e inspiradoras!

Como é que um morto vivo usando cachecol estampado de pinhões não iria inspirar minha jornada exploratória de superfícies? Nos próximos posts vocês verão estampas de pinhões pra todo lado!

Minha primeira contribuição com um projeto no Catarse

Aqui vou falar sobre o primeiro projeto que colaborei numa plataforma de financiamento coletivo, o Catarse. O projeto do André Caliman era o de publicar uma história em quadrinhos ambientada em Curitiba chamada Revolta. Achei legal incentivar artistas que além de serem curitibanos, falam de Curitiba na sua arte. A recompensa foi o quadrinho Revolta autografado e eu desenhada em estilo HQ.

capa-revolta-caliman

Claudia-revolta

Que tal eu desenhada pelo André em pose de revolta acompanhada, logicamente, pela minha querida Araucária?