Criando embalagens para presente

Sempre gostei de fazer pacotes de presente e isto só aumentou com a descoberta do design de superfície. Abaixo vocês vão descobrir algumas das embalagens que andei inventando com os meus desenhos. Uma amostra das minhas horas de diversão decorando caixas que recupero nas casas lotéricas para virarem embalagem de presente.

 

Caixa para o presente que foi pro Japão e envelope feito com papel serigrafado MON araucária.

 

Grimpa bordado

Como ficaria o Grimpa transformado em bordado? Adoro os quadrinhos feitos de bastidores e decidi transformar meu mascote em bordado. Usei o ponto haste para os contornos e nos detalhes das orelhas, dos braços e das pernas usei a imaginação, como se estivesse desenhando. Adorei a experiência! O bordado é muito próximo do desenho só que em vez de lápis a gente usa agulha e fio. Desenhei o Grimpa no tecido e carimbei o coração dele com pinhões. Tive que fazer um carimbo de borracha menor do que o carimbo que uso normalmente nos meus projetos.

grimpa-amo-pinhao-carimbo

Depois foi a vez de bordar.

grimpa-amo-pinhao-bordado

Como resolver o acabamento do fundo? Desta vez eu precisava de um fundo que escondesse meus acabamentos, mal acabados de marinheira de primeira viagem, e não podia fazer o que fiz no bastidor pinhão índio. Conversei com a minha mãe e ela deu a ideia de fazer um fundo de crochê. Por enquanto eu ainda não me aventuro neste mundo, então foi ela que fez esta parte e eu me encarreguei de costurar o fundo no bastidor. Nossas colaborações são sempre ótimas!

grimpa-fundo-crochet

grimpa-amo-pinhao-bordado-frente

grimpa-amo-pinhao-bordado-tras

Espero que o Grimpa e vocês tenham gostado do retrato bordado mas tem uma coisinha que está me incomodando : Como vou pendurar este quadrinho e esconder este lindo crochê? Que tal uma semana de cada lado? rs

 

Dia de São João e da Araucária

Hoje é um dia especial pois comemora-se duas coisas que eu adoro, festa de São João e a Araucária. Para comemorar este dia aí está Grimpa o bichinho que tem o pinhão no coração e adora festa junina.

Uma pequena brisa de Volpi.

Grimpa festa junina1

 

Nascimento do Grimpa

Aqui vou contar a história do nascimento do Grimpa, o primeiro bichinho de pano criado e costurado por mim. Para os que não sabem, grimpa é como chamamos aqui no Sul um galho seco de Araucária. Ela é usada para sapecar o pinhão na hora e no lugar onde a pinha cai. Acho fascinante a natureza, a própria árvore te fornece o meio para consumir seu fruto. Como não ser apaixonada pela Araucária? Os que me acompanham aqui já sabem desta minha paixão e foi dela que surgiu a ideia deste bichinho que é, logicamente, apaixonado por pinhão. Então se falamos em paixão, o tema para o carimbo foi obviamente o coração, o mesmo usado aqui. Carimbo, costura e bordado (boca, feita com ponto haste) foram utilizados para dar vida ao Grimpa e tudo isto foi feito em muito boa companhia, a da minha mãe. Comecei a aprender costura com ela depois deste MOOC e considero estes momentos que passamos juntas uns dos melhores do processo de criação.

 

Grimpa e eu temos muito em comum, gostamos de Araucárias, pinhões, desenhos, festa junina, etc , somos movidos a bateria solar e ambos nascemos no dia 17, ele de junho eu de setembro. Acho que nossa amizade vai ser duradoura.

grimpa

Grimpa curtindo um friozinho curitibano.

grimpa_inverno1

Pinhão no coração

Aplicação de um dos meus estudos, feitos aqui. Carimbo sobre tecido e papel.

SacolECO e porta garrafa pinhão no <3

Aplicação da estampa na caixa de presente.

Primeiras criações com os carimbos

Bom, agora que tenho os carimbos, já estou familiarizada com tintas e técnicas de gravura das aulas de xilo e estou aprendendo a costurar, aí vão algumas das minhas criações inspiradas nas combinações que fiz aqui. Cestas de tecido

Agora estava começando a faltar uma etiquetinha para colocar em tudo que vou costurar e naturalmente lá está a Araucária e o pinhão, assim quando vocês verem este duo por aí saberão de onde vieram.

No Japão consegui decifrar muita coisa pelos desenhos que tinham nas embalagens, nas placas, etc, além de ajudarem eles eram muito fofos. Uma das coisa que coloquei na mood board que fiz do Japão era uma espécie de toalhinha que eu comprei porque achei genial a ideia e a maneira como eles  descreveram o uso dela com desenhos, então, nada mais natural que ela tenha me inspirado a fazer a etiqueta que eu achava que estava faltando para as minhas cestinhas.

Quando dei de presente uma cesta para a casa da minha prima, o namorado dela seguiu a sugestão número 5 da minha etiqueta "Você decide! Agora ela é sua." e usou ela como touca.

Ilustração, feita à partir de uma foto tirada por mim, em técnica mista, nanquim, canetinha e colagem sobre papel vegetal.

cesto-touca

 

SacolECO   I <3 Curitiba.

 

SacolECO flor de pinhão.

sacoleco-flor-pinhão

Gostei bastante de carimbar na lona que fiz as cestas e no algodão cru das sacolas, o resultado me agradou.

Dica, quando for carimbar coloque a tinta de tecido numa esponja, eu usei esponjas velhas de louça, fica mais fácil de controlar e espalhar a tinta no carimbo.

A multiplicação do pinhão

Resolvi brincar com a carimbo do pinhão e achei incrível quantas combinações diferentes se pode fazer com um único carimbo. Abaixo vocês podem ver algumas delas.

 

Meus primeiros carimbos

Este erro foi o motivo pelo qual decidi mandar fazer os carimbos abaixo. Se vocês estavam se perguntando como transformar aquela arte em carimbo, é só consultar o Ruy da Primo Mestre Carimbos que ele faz a mágica, depois, é só sair carimbando por aí. Algumas dicas que podem ser úteis para vocês que estão pensando em mandar fazer carimbos. Para carimbos artísticos é melhor sem o cabo, fica mais fácil para aplicar e para guardar. Se você tiver uma arte composta, como no caso da minha, o melhor é mandar fazer um carimbo por desenho para não ficar restrito a sempre carimbar a mesma coisa.

Como o primeira ideia era a de fazer a camiseta, comecei a testar vários tipos de tinta naquela famosa camiseta que foi impressa errada.

camiseta-carimbo